Postado por

Vamos entender de forma geral porque o canudo de papel está sendo requisitato tanto aqui no Brasil, como no mundo inteiro.

No início de julho de 2018, Seattle se tornou a maior cidade dos EUA a proibir canudos de plástico e substítuilos por canudo de papel ou de alumínio.

A Starbucks planeja eliminar gradualmente os canudos de plástico até 2020. O McDonald’s anunciou recentemente que proibirá canudos de plástico em seus restaurantes no Reino Unido e na Irlanda e mais recentemente os restaurantes aqui no Brasil já contam com o canudo de papel.

Canudo de Papel

A Bon Appétit Management, uma empresa de serviços alimentícios com 1.000 locais nos EUA, anunciou em maio passado que eliminará o canudo de plástico.

A Alaska Airlines será uma das primeiras companhias aéreas a eliminar progressivamente canudos e agitadores de plástico, em parte graças a uma escoteira ambientalmente consciente, que defende não só o canudo de papel mas outros utensilíos ecologicamente corretos.

Esses grupos estão respondendo a protestos públicos exigindo ações contra um produto que, por um lado, parece muito simples – mas que está prejudicando os oceanos do mundo, alertam os especialistas.

Apenas nos EUA, uma estimativa sugere que 500 milhões de canudos são usados ​​todos os dias. Um estudo publicado no início deste ano estimou que 8,3 bilhões de canudos de plástico poluem as praias do mundo.

Oito milhões de toneladas de plástico fluem para o oceano todos os anos, e os canudos representam apenas 0,025% disso.

Mas isso não impediu que o palhaço se tornasse o principal foco das recentes campanhas ambientais. Isso ocorre em parte porque, para a maioria das pessoas fisicamente aptas, o canudo é algo que você pode facilmente prescindir.

Eliminar o uso de palha de plástico raramente requer uma mudança drástica de comportamento.

Mas se eles são tão fáceis de ficar sem, como eles se tornaram tão onipresentes em primeiro lugar?

Embora os canudos de plástico sejam uma invenção recente, os seres humanos têm usado tubos cilíndricos ocos para trazer líquido aos lábios há séculos.

Os sumérios antigos, uma das primeiras sociedades conhecidas a fabricar cerveja – há 5.000 anos – submergiram longos tubos finos feitos de metais preciosos em grandes jarros para alcançar o líquido abaixo dos subprodutos da fermentação.

Um homem chamado Marvin Stone foi o primeiro a registrar uma patente para um canudo, em 1888.

O Smithsonian Institute cita uma lenda amplamente elogiada, dizendo que Stone estava bebendo um julep de menta em um dia quente de verão em 1880, quando seu pedaço de grama de centeio, então usado como palha, começou a se desintegrar.

Stone, um fabricante de piteiras de papel, decidiu que poderia fazer algo melhor. Criou o canudo de papel,

Enrolou tiras de papel em volta de um lápis, colou-as e logo teve um protótipo inicial do canudo de papel. Ele patenteou seu projeto em 1888 e, em 1890, sua fábrica Stone Industrial (hoje parte do Precision Products Group) os produzia em massa.

Não foi até a década de 1930 que os canudos ganharam a capacidade de dobrar.

Observando a filha se esforçar para alcançar seu milk-shake com facilidade através de um canudo de papel reto, o inventor Joseph Friedman inseriu um parafuso no canudo, enrolou o fio em volta das ranhuras do parafuso e retirou o parafuso.

Com recuos, o canudo de papel pode facilmente dobrar sem quebrar. Friedman patenteou sua invenção e criou a Flex-Straw Company para produzir seu projeto.

Os hospitais foram os primeiros a abraçar canudos dobráveis, porque permitiram que os pacientes bebessem enquanto estavam na cama.

Nas décadas que se seguiram, o popular canudo de papel chegou a refrigerantes e batidos em toda a América.

A indústria plástica em expansão

Os americanos ainda estavam abraçando o canudo de papel quando a fabricação de plásticos começou a se firmar.

Inventado pela primeira vez em 1870 por um americano chamado John Wesley Hyatt, os primeiros produtos plásticos foram feitos a partir de um material chamado celulóide que imitava produtos de origem animal, como o marfim.

Outros compostos plásticos se firmaram nas décadas seguintes: baquelite era usada para utensílios domésticos, nylon para meias e acrílico em aviões militares.

Durável e barato, o plástico estava sendo retirado das fábricas a taxas sem precedentes durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando o conflito terminou, os fabricantes americanos precisavam de um novo mercado consumidor.

Em seu livro Plastic: A Toxic Love Story, a escritora científica Susan Freinkel descreve uma infra-estrutura de produção de plástico em tempo de guerra, subitamente desprovida de plástico para produzir.

Os fabricantes voltaram sua atenção para um mercado crescente de bens de consumo baratos. Não mais atolados pela frugalidade da guerra, os americanos queriam mais e com custos mais baixos.

“Graças ao plástico, os norte-americanos recém-formados tinham uma infinidade de itens acessíveis para escolher”, escreve Freinkel.

Qual a importância do canudo de papel

Canudo de Papel

O mundo está agora lutando para se recuperar de sua ressaca por poluição plástica.

Empresas, municípios e até governos nacionais estão propondo e implementando proibições de canudos de plástico.

Algumas empresas entraram na briga fabricando canudos de metal e vidro que consumidores preocupados com o meio ambiente podem comprar para uso pessoal, embora não disponham de canudo ​​de papel e plástico dos quais os restaurantes se beneficiam.

As mesmas empresas que outrora se beneficiaram da empolgação pública em relação ao plástico estão cada vez mais pressionadas pelo público a usar alternativas.

Steve Russell é o vice-presidente de plásticos do Conselho Americano de Química (ACC), uma organização comercial que representa fabricantes de plásticos, entre outras indústrias.

Ele diz que a regulamentação que se concentra apenas nos canudos, ou em qualquer produto específico, perde o objetivo.

“O foco em produtos individuais nos afasta das discussões mais necessárias sobre como levamos o gerenciamento de resíduos para os locais que mais precisam dele”, diz ele.

“Acreditamos que seria melhor se os canudos não fossem fornecidos automaticamente, mas disponíveis, caso o consumidor precise de um”.

Russell diz que o ACC está focado na coleta de lixo como a melhor maneira de impedir que mais resíduos de plástico entrem no oceano.

Grupos ambientalistas, no entanto, dizem que a proibição de palha de plástico é um passo importante em direção ao seu objetivo final: acabar com a circulação de plástico descartável.

Acredita-se que um dia os canudos de plástico serão uma anomalia. Quando o Aardvark Straws foi criado em 2007, era em parte por causa de uma demanda de zoológicos, aquários e navios de cruzeiro que queriam promover uma imagem ecológica para seus clientes.

Custo é a única coisa entre os canudos de plástico e a extinção

Não há como evitar que um canudo de papel custe cerca de um centavo a mais do que um canudo de plástico.

Para as grandes corporações, isso equivale a centenas de milhões de dólares, mas o custo para o ambiente marinho, você não pode colocar um preço nisso.